Saiba como refinanciar seu imóvel

Uma das vantagens do refinanciamento de imóvel é a taxa de juros, menor do que a de empréstimos pessoais (Foto: Jcomp/Freepik )


04/10/2019

Por Paola Fajonni


Família maior, mudança no estilo de vida, busca por uma localização melhor, mais comodidade... São vários os motivos que levam alguém a trocar de casa ou de apartamento.

E se esse é o seu sonho, mas sua situação financeira está te impedindo, saiba que há opções! Por exemplo, o refinanciamento de imóvel.

Mas antes de ir a um banco e fechar negócio, que tal conhecer tudo sobre esse procedimento?


Afinal, o que é refinanciamento de imóvel?


Basicamente, o refinanciamento imobiliário é um empréstimo no qual um imóvel serve como garantia de pagamento. 

Desse modo, a concessão do crédito depende do valor da propriedade. Ela é avaliada pela instituição financeira, que, então, libera uma parte do valor ao cliente.

Portanto, a operação nada mais é do que um empréstimo com garantia de imóvel.

O procedimento também é conhecido pela sigla CGI, crédito com garantia de imóvel.


Refinanciamento é o mesmo que hipoteca?


Na prática, as duas operações funcionam da mesma forma. Ou seja, o solicitante oferece um bem em troca de um empréstimo.

Mas esses procedimentos têm diferença!

No caso do refinanciamento de imóvel, a propriedade fica em nome da instituição financeira até o empréstimo ser pago.

Já na hipoteca, o bem não fica temporariamente no nome do banco.

Logo, o refinanciamento oferece mais garantia ao concedente do crédito, pois caso o empréstimo não seja quitado, formalmente é mais fácil tomar o imóvel.


Então como funciona o refinanciamento de imóvel?


O empréstimo é liberado uma vez que são cumpridas as formalidades, como avaliação do imóvel, documentação e transferência de propriedade.

O valor oferecido pelas instituições financeiras costuma ser limitado a 50% ou 60% do preço do imóvel.

Além disso, a parcela do empréstimo não pode comprometer mais do que 30% a 35% da renda do cliente, em média.

E como há uma garantia sólida para as empresas, o refinanciamento imobiliário oferece muitas vantagens. Então você consegue encontrar benefícios no mercado tais como:

  • Taxas de juros menores do que as de empréstimos;
  • Prazo para pagamento de até 240 meses;
  • Prestações mensais decrescentes;
  • Parcelas descontadas em conta corrente, o que facilita o pagamento e evita a perda do imóvel.

Além disso, o cliente pode usar o dinheiro como bem entender. Então se seu objetivo é mudar de casa, basta fazer exatamente isso!


Quem pode fazer refinanciamento de imóvel?


O principal critério para a operação é ter um imóvel.

Dessa forma, qualquer pessoa que tenha uma propriedade pode solicitar o refinanciamento imobiliário.

Contudo, ter um imóvel não garante nada. Afinal, a instituição financeira vai fazer uma avaliação de crédito para verificar se você pode pagar pelo empréstimo.


Quais imóveis podem ser refinanciados?


Na hora de fazer o refinanciamento, tanto faz se o imóvel é residencial ou comercial. Porém, é importante que ele esteja em situação regular.

Se está irregular, dificilmente um banco vai conceder empréstimo.

Contudo, há financeiras que podem oferecer crédito dependendo do tipo de irregularidade. Por exemplo, se a propriedade não tem “Habite-se”, que é uma certidão de habitação emitida pelas prefeituras.

O mesmo vale para o refinanciamento de imóvel financiado!

Se a propriedade ainda está sendo paga, você pode refinanciá-la, mas não é toda empresa que vai fazer a operação.

Novamente, em casos como esse é mais fácil conseguir o crédito com garantia de imóvel junto a uma financeira do que a um banco.

Além disso, em situações assim é comum a administradora quitar a propriedade e acrescentar o valor pago às parcelas do empréstimo.

Logo, é possível sim fazer refinanciamento de imóvel não quitado!


Refinanciamento de imóvel com troco


Se você precisa com urgência de dinheiro ainda pode valer a pena fazer um refinanciamento de imóvel com troco.

Nele, quem tem uma dívida de financiamento imobiliário recebe um empréstimo maior do que o necessário para pagá-la. Então o imóvel é quitado, e o restante do valor é usado conforme o solicitante desejar.

Dessa forma, a propriedade continua como garantia junto à instituição financeira.


Para entender melhor, observe o seguinte exemplo:

A Maria fez um financiamento imobiliário junto à Caixa Econômica Federal de R$ 150 mil. Ela já pagou R$ 135 mil, então faltam quitar R$ 15 mil.

Mas Maria precisa de dinheiro para comprar um apartamento novo, então opta pelo refinanciamento de imóvel com troco Caixa.

Logo, pega um empréstimo de R$ 30 mil, sendo que a metade do valor é destinada a quitar o primeiro imóvel.

O restante, o “troco” do refinanciamento de imóvel Caixa, Maria completa para adquirir o outro apartamento.

Dessa forma, a Maria quitou seu imóvel, mas ele continua como garantia do refinanciamento junto ao banco.


Quando optar pelo refinanciamento de imóvel?


Como as taxas de juros desse tipo de negócio costumam ser baixas em comparação a outros procedimentos, ele torna-se ideal para quem tem dificuldade em poupar ou precisa de dinheiro rápido.

Além disso, o refinanciamento é indicado para quantias altas. Tanto que há bancos que só oferecem empréstimos com garantia de imóvel a partir de R$ 30 mil.

Mas como seu objetivo é trocar de apartamento, o refinanciamento de imóvel é perfeito para você!


Quais os documentos necessários para o refinanciamento de imóvel?


A documentação exigida varia conforme a instituição financeira. Contudo, geralmente são necessários documentos básicos do proprietário e do imóvel. Por exemplo:

  • RG;
  • CPF;
  • Certidão de casamento, se for o caso;
  • Comprovantes de renda e de residência;
  • Certidão de Matrícula do Imóvel;
  • Informações do IPTU, o Imposto Sobre Território Urbano;
  • Certidão Negativa de Tributos Imobiliários.


5 dicas para o seu refinanciamento de imóvel dar certo!


1. Não pegue emprestado mais dinheiro do que precisa;

2. As taxas de juros das financeiras geralmente são maiores, então avalie se realmente compensa negociar com elas;

3. Pesquise bastante antes de escolher a instituição para fazer o financiamento;

4. Pague as parcelas em dia, porque se não pagar, vai ficar sem seu imóvel;

5. Nenhuma empresa quer tomar sua propriedade, então se enfrentar dificuldades, procure a instituição financeira e tente renegociar.



Agora que você sabe tudo sobre refinanciamento de imóvel, já pode transformar o sonho do imóvel novo em realidade!

Mas se ainda tem dúvidas e quer saber qual o valor do imóvel que pode financiar, basta ler esse artigo. Aqui a gente esclarece tudo sobre o assunto!


Quer descobrir qual valor de imóvel você pode financiar?

Acesse nosso Simulador de Financiamento e descubra as melhores condições de financiamento para você.