As 8 etapas do processo de financiamento imobiliário

Legenda: A assinatura do contrato é uma das últimas etapas do processo de financiamento imobiliário, que exige que imóvel e documentos passem por análises 

Antes de mais nada, gostaria de lembrar que durante a pandemia do Coronavírus a Caixa Econômica Federal anunciou 6 meses de carência para novos contratos habitacionais. Isso significa que você pode comprar o seu imóvel e só começar a pagar as parcelas daqui a 6 meses


Você se planejou, poupou e agora chegou o momento de comprar seu primeiro imóvel. Então é hora de começar o processo de financiamento imobiliário!
Mas começar por onde?
Esta é uma dúvida comum, e muita gente pensa que nessa fase começam também as dores de cabeça e uma longa jornada burocrática.
Fugir da burocracia é impossível, mas o processo pode ocorrer de forma mais simples e rápida se você tiver ajuda. E é aqui que nós entramos!

Nosso objetivo é tirar dúvidas, descomplicar operações e facilitar a realização dos seus sonhos, e desta vez resolvemos explicar o financiamento passo a passo!
Porém, há algumas coisas que você precisa saber para entender melhor as etapas do financiamento imobiliário. Vamos começar por elas!


Regras do financiamento

O financiamento é uma das soluções de crédito mais acessíveis e populares entre quem compra imóveis.
Basicamente, qualquer pessoa maior de idade pode utilizá-lo desde que cumpra duas regras:

1) O valor de entrada deve ser de, no mínimo, 10% a 20% do valor do imóvel (pode usar o FGTS para compor);

2) As parcelas não podem comprometer mais do que 20% a 30% da sua renda familiar (sua renda pode ser composta por mais um participante).

O Santander é o único banco a financiar até 90% do valor do imóvel.

A Caixa é o único banco com a modalidade IPCA, onde é possível comprometer apenas 20% do renda.

Quanto maior o valor da entrada, menor o valor da parcela.

Por exemplo: uma família deseja comprar uma casa de R$ 150 mil, então deve dar no mínimo 15mil de entrada. E se essa mesma família tem renda mensal de R$ 6 mil, a parcela não pode ultrapassar R$ 1,8 mil.


Entrada e parcelas

Quanto mais alto o valor pago inicialmente, mais fácil é conseguir e mais barato fica o financiamento. Por isso, considere usar o FGTS para a entrada.

Além disso, saiba que as parcelas são calculadas levando em consideração cinco elementos:


1. Amortização

Consiste no pagamento do dinheiro emprestado. Assim, descontados os juros bancários, o que “sobra” da parcela é valor amortizado.

São comuns no país o Sistema de Amortização Constante ou Tabela SAC, no qual as prestações diminuem conforme a dívida é paga.

O Sistema Francês de Amortização ou Tabela PRICE também é popular. Sua principal característica é que as parcelas são fixas, mas o financiamento acaba sendo mais longo e caro.


2. Juros

Consiste no valor cobrado pelo empréstimo. Ou seja, é o percentual adicionado pelo banco sobre o valor financiado.

Clique aqui e conheça as melhores taxas de juros imobiliário do mercado!


3. Serviços administrativos

Taxa mensal de manutenção do financiamento, cujo valor varia de banco para banco.

4. Seguro de danos físicos ao imóvel - DFI

Item obrigatório dos contratos, cobre prejuízos por incêndios, explosões, raios e danos causados por condições meteorológicas, como vendavais e chuva de granizo.

5. Seguro de morte e invalidez permanente - MIP

Outro item obrigatório, garante que o empréstimo seja pago mesmo com a morte ou a invalidez permanente do cliente da instituição financeira.
Além disso, ele é calculado mensalmente e aumenta conforme a idade do dono do imóvel.



Passo a passo: 8 etapas do processo de financiamento imobiliário

Agora que você sabe mais sobre financiamento imobiliário, está pronto para aprender a solicitá-lo!

O processo para contratar o crédito é sempre o mesmo, mas depende de diversas variáveis. Por exemplo:

• Preço do imóvel;
• Valor da entrada;
• Valor das parcelas que consegue pagar;
• Tipo de financiamento;
• Banco escolhido.

Por isso, cada financiamento é diferente!
E para lidar com essas diferenças, procure ajuda de um profissional. Ele busca soluções e indica os melhores caminhos sempre que você enfrenta um problema ou tem dúvidas.
Portanto, fale com um corretor antes de iniciar o processo de financiamento imobiliário. Ele é formado por oito etapas, que você confere a seguir!

1. Análise do crédito

Nesta fase são levados em consideração renda, perfil do cliente, prazo, etc. Então, para começar, faça as contas!
Dessa maneira você calcula quanto tem e quanto pode gastar, o que torna mais fácil descobrir o valor do imóvel que pode financiar.
Então, separe os documentos necessários e leve-os até o gerente do banco escolhido.
Você pode conferir neste artigo os documentos essenciais à compra. Porém, lembre-se de que outros itens podem ser solicitados, dependendo da instituição financeira.
O prazo de análise varia, mas a estimativa é que a aprovação do crédito ocorra em cinco dias úteis.
Além disso, toda a fase da liberação de crédito dura 40 dias, em média, segundo dados da Abecip, a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança.

2. Escolha do imóvel

Com o crédito pré-aprovado, você pode “bater o martelo” sobre o imóvel que irá comprar.
Procure chegar nesta etapa com algumas opções para escolher, já que imprevistos acontecem. Além disso, as condições do banco podem acabar sendo diferentes das que esperava.
Considere também que apenas imóveis com a documentação regular são financiados pelos bancos.

3. Avaliação de engenharia

Definido o imóvel, sua documentação é enviada à instituição financeira. Então chega a hora da verificação da casa ou do apartamento.
Dessa forma, uma vistoria com um engenheiro ou arquiteto é agendada. Isso garante a qualidade do imóvel e também que o preço esteja dentro do valor de mercado praticado.
Se estiver tudo correto, será elaborado um laudo liberando as próximas etapas.
Nesta fase, a taxa de engenharia pode ser cobrada antecipadamente.

4. Análise jurídica

Toda a documentação do processo de financiamento imobiliário passa por uma análise jurídica pela equipe do banco.
O objetivo é garantir a segurança da transação e a preservação das partes envolvidas.
Dependendo do caso, documentos extras podem ser solicitados.

5. Elaboração do contrato

Depois que a documentação é aprovada, o processo de financiamento imobiliário tem continuidade com a elaboração do contrato.
Há bancos que convidam os compradores para uma entrevista nesta etapa.

6. Assinatura do contrato

A burocracia no banco está praticamente terminada!
Então, as partes envolvidas encontram-se para assinar o contrato do financiamento, o que requer pagar uma taxa. O valor varia conforme a instituição financeira.

7. Registro

Os contratos assinados devem ser encaminhados a um cartório de Porto Alegre.
O serviço tem uma taxa, então informe-se sobre o valor ou peça ajuda do corretor.
Além disso, os cartórios normalmente pedem o comprovante de pagamento do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), de competência municipal.

8. Levar o registro ao banco

Após o registro do contrato, o documento deve ser encaminhado ao banco. É feita uma última análise, então o dinheiro é liberado para pagamento do vendedor.
Em geral, isso demora até cinco dias úteis depois da entrega do contrato registrado.
Quando esta etapa estiver concluída, será hora de comemorar, porque seu sonho da casa própria enfim terá saído do papel!
E aí, o que achou do processo de financiamento imobiliário?
Considere que quanto mais informações e ajuda tiver, mais simples e rápidas serão as coisas.
Além disso, lembre-se que uma boa forma de poupar tempo e facilitar o financiamento é utilizar um simulador de crédito para comparar planos e propostas de instituições financeiras.

Que tal fazer isso agora mesmo?
Assim você descobre as melhores condições do mercado e realiza logo seu sonho da casa própria!